Com a mudança do cenário econômico do país, veículos seminovos passam a ser uma boa opção para quem quer trocar de carro. E o SPC Brasil oferece um serviço que auxilia na segurança do comprador antes de bater o martelo.

Nos últimos anos, o Brasil viveu um momento próspero da indústria automotiva. Com a inflação sob controle, aumento da taxa de pessoas empregadas e benefícios fiscais - como a redução do IPI por um período prolongado - a venda de carros zero quilômetro bateu todos os recordes positivos para o setor.

No entanto, o cenário já não é o mesmo. Em 2013, a venda de veículos novos caiu pela primeira vez em dez anos, segundo informações da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). A restrição do crédito, associada ao crescente endividamento das famílias, a inflação em alta e o aumento dos juros, contribuíram para a mudança de perspectivas no setor.

Apesar desse fim de ciclo na economia brasileira, o pessimismo não se estende ao mercado de carros usados. Nesse segmento especifico, o crescimento das vendas foi de 5,8% nos quatro primeiros meses de 2014 em comparação com igual período de 2013, segundo levantamento da Fenauto (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores).


“Um carro com dois anos de uso pode custar até 30% menos do que um 0 KM. Decidir se é melhor comprar um carro novo ou usado depende do perfil de cada consumidor, do veículo que ele deseja adquirir e do quanto pretende desembolsar. A diferença substancial entre as duas opções é a depreciação. A tendência é que o consumidor não perca tanto dinheiro ao comprar um carro usado porque nos dois primeiros anos após a compra, a desvalorização já é bastante alta”, explica a economista-chefe do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), Marcela Kawauti.


Preferência Nacional


Uma pesquisa recente encomendada pelo portal Meu Bolso Feliz, iniciativa de Educação Financeira do SPC Brasil para estudar o uso das modalidades de crédito pelo consumidor, mostra que entre as pessoas que atualmente têm um financiamento no país, 35% o adquiriram para comprar um carro, ocupando o primeiro lugar na lista, ao passo que outros objetivos como reformar a casa ou pagar a faculdade aparecem no final, com 4% e 3% das intenções, respectivamente.


José Vignoli, educador financeiro do portal, explica que a maneira ideal de se comprar um bem é fazer um planejamento para o longo prazo, aplicar o dinheiro aos poucos em um investimento e, ao final, comprar o bem a vista. “Assim o comprador além de barganhar um bom desconto, não pagará juros e ainda quitará o produto em um período mais curto”, conclui.


No entanto, na prática, esse projeto nem sempre é possível, e assim as ferramentas de crédito surgem para dar vazão aos sonhos do consumidor, não devendo portanto serem vistas como vilãs, mas sim “apoiadores” que precisam ser utilizadas de forma inteligente para o sonho não virar pesadelo, pondera Vignoli.


Cuidados na hora da compra


O financiamento de um veículo zero quilômetro é sempre mais seguro para o comprador, pois além da garantia de fábrica e da loja, ele tem a segurança que a documentação está em ordem. Já com um veiculo seminovo é preciso ter alguns cuidados antes de fechar a compra, sob o risco de um aparente bom negócio se transformar em dor de cabeça.


“Comprar um carro usado requer precauções que não são necessárias para adquirir um carro zero, principalmente se a aquisição for feita diretamente com o dono e não por meio de uma agência”, explica Marcela Kawauti. A principal delas é checar a documentação do veículo e do proprietário que está vendendo. É importante verificar se existem dívidas de IPVA, quitação do seguro obrigatório, multas, financiamento não quitado e outras irregularidades na documentação, como número de chassi, vidros e placas.


Para facilitar nessa busca de informações, o SPC Brasil disponibiliza para o mercado o “SPC AUTO”, um portfólio completo de serviços que auxilia o comprador a obter informações relevantes do veículo antes de fechar o negócio. “Com ele, o comprador evita negociações com veículos fraudados, roubados ou alienados, identificando a legitimidade dos dados e confirmando a propriedade do bem”, afirma Silvia Cravo, gerente de Produtos e Inteligência de Mercado do SPC Brasil. Ela destaca que o serviço auxilia não apenas a Pessoa Física, sendo muito útil também aos donos de concessionárias que compram regularmente veículos usados para a revenda, além disso, pode ser utilizado também para apoiar comerciantes e empresários na análise de um bem, dado como garantia de operações financeiras.

Para adquirir o produto, o empresário interessado deve se associar ao SPC Brasil por meio da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Santo Antônio do Monte, através do telefone: (37) 3281-2411

Fonte: www.spcbrasil.org.br